Em função do tipo de esforço e a temporada ambiental, o corpo perde através do suor quantidades importantes de água, no esforço de manter a temperatura corporal dentro de limites normais, isto é, entre 36,5 e 37,5 ° C.

O movimento dos músculos produz o calor e o corpo põe em marcha um mecanismo de dissipação do mesmo, através do suor e sua posterior evaporação. Em dias quentes e bastante úmidos este mecanismo de defesa do organismo pode ser sobreposto e as perdas pelo suor, podem ser extremas, alcançando sérios níveis de desidratação. Nestas circunstâncias, é fundamental levar roupas leves e soltas, que permita a livre circulação de ar ao redor de nossa pele.

Tomar líquidos

A desidratação se vai manifestar no início em forma de problemas localizados, do tipo de cãibras musculares, sensação de sede, visão turva, etc., e se substituirmos líquidos pode causar um golpe de calor, situação de extrema desidratação que pode comprometer a nossa vida, já que a temperatura corporal se eleva acima de 40º C.

As perdas de água deterioram o desempenho físico do atleta, de forma que uma perda de suor equivalente a 2% do peso corporal (1,4 litros em uma pessoa de 70 kg), a capacidade física será reduzida em 20%, aparecerá mais facilmente a temível “vagabunda”, o indivíduo estará mais predisposto a quedas, acidentes diversos e até mesmo a retirada. Diante disso, é compreensível que os médicos desportivos insistir tanto na hidratação durante a atividade esportiva.

Durante os esforços de longa duração, ocorre frequentemente usadas para alimentos sólidos. Além disso, através do suor perdemos grandes quantidades de minerais ou de sais, especialmente cloro, sódio, potássio ou magnésio. Por tudo isso, será conveniente acrescentar alguns componentes água, preparando-se para uma eficaz e agradável bebida energética, ou seja, bebidas isotónicas , cuja composição é constituída por hidratos de carbono simples (glicose ou frutose), minerais diversos (cloro, sódio, potássio, magnésio, zinco ou selênio) e vitaminas B e C, que têm efeitos positivos sobre o rendimento muscular e a sua posterior recuperação.

As misturas à base de água com chá e limão ou com chá e mel, podem ser apropriadas sempre que o conteúdo de matéria doce não seja excessivo, pois, caso contrário, poderá causar problemas digestivos tais como náuseas, vómitos ou diarreia, com o que poderia sendo acionado ou agravar-se em estado de desidratação. De igual modo, é aconselhável que a cada duas horas a realizar pausas de 5 a 10 minutos em que tomaremos os alimentos apropriados para o esforço, acompanhados de água ou bebidas preparadas.

Outro aspecto a considerar é a temperatura da água. Se bebemos a água muito fria, ao tomar contato com as paredes do estômago que se encontram a 37º C, pode provocar um choque térmico, conhecido popularmente com o nome de “corte de digestão” e que caracteriza-se por vômitos, sudorese e perda do conhecimento. Assim, podemos estabelecer que a temperatura ideal para as bebidas está entre 10 e 15 ° C, para não sofrer nenhum tipo de risco,

Compartilhe isso:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *